Gladston Salles

O amor é o tudo no nada que somos

Textos

Trago-lhe um poema
Arrumadinho
Bem rimado
Lapidado
Perfumado
Com as flores do meu jardim
Este poema que lhe ofereço
Embrulhado com laços de ternura
Não tem preço
É diamante raro
Pra ninguém botar defeito
É suave e aconchegante
Serve de alento
E consola o coração aflito
Tem magia
E contagia os mais descrentes
Tem sabor de verão
Sorvete de morango
E refrigera a alma
É também muito útil no inverno
Pra quem está só
Serve de edredon
Acho que tem grande valia
Durante a noite
Ou de dia
Este poema dá conta do recado
Mas mesmo assim
Caso você não acredite
Ou não queira aceitá-lo
Por achar o autor por demais pretensioso
E o poema sem graça
Sem nenhum valor
Pode mandá-lo de volta
Que o poeta louco
Com o coração ferido
Saberá guardá-lo na gaveta

Gladston Salles
Enviado por Gladston Salles em 06/04/2011
Alterado em 06/04/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link gladstonsalles.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras