Gladston Salles

O amor é o tudo no nada que somos

Textos

Este nó na garganta não desata
E me sufoca
Sempre que o telefone toca
E não é você...
Foram tantos os momentos vividos
Mãos entrelaçadas como se fosse para sempre
E de repente tudo se acabou
Quero me esquecer do passado
Mas não consigo
Preciso de um acalanto
Quem sabe um ombro amigo
Para amenizar meu sofrimento
Sei que devo seguir adiante
Sem olhar pra  trás
Esvaziar a bagagem repleta de suas recordações
E reencontrar um novo caminho
É sabido que o sol sempre ressurge no horizonte
Apesar das nuvens densas e negras
Mas acontece que as vezes não acredito que ainda posso ser feliz
E a descrença toma conta de mim
Sinto-me amargurado
Na encruzilhada do destino
E nada pra mim tem graça e enlevo
Os dias se sucedem
As horas seguem lentas num triste compasso
E por mais que eu não queira
Quando enfim cansado adormeço
Sempre sonho contigo














Gladston Salles
Enviado por Gladston Salles em 01/04/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link gladstonsalles.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras