Gladston Salles

O amor é o tudo no nada que somos

Textos

Cuidado "homem máquina"
Repense a sua luta para ser feliz
Você pode sucumbir nessa "selva de pedra"
Repleta de contrastes e incoerência
Você pode se tornar apenas mais um na multidão
E se anular e perder a sua identidade
O desamor e o egoísmo estão em evidência
Ninguém ouve o poeta louco
A voz dos oprimidos
O lamento que ecoa dos becos imundos
A violência virou uma epidemia
A mãe chora lágrimas de sangue
E o filho drogado simplesmente ri
Onde está a saída? Pergunta um forasteiro desavisado
E ninguém sabe responder
Cuidado "homem máquina"
Eu sei que você não pode parar nem pra pensar
Que está correndo em busca da felicidade
Vai alegar que está em cima da hora
Que daqui a pouco o sinal vai abrir
Tudo bem
Eu apenas queria lhe dizer que...

AH! Não deu tempo.
 
 

 
 
 

 
 

Gladston Salles
Enviado por Gladston Salles em 01/06/2010
Alterado em 04/06/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link gladstonsalles.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras