Gladston Salles

O amor é o tudo no nada que somos

Textos

                                  

                   FLORES DE PLÁSTICO E CORAÇÃO DE PEDRA


Vivemos na era das flores de plástico e coração de pedra.A artificialidade e a insensibilidade é marcante.Busca-se o imediatismo a qualquer preço.Ninguém quer perder tempo com romantismo.Aliás dizem que o romantismo "já era"...Ser romântico e cavalheiro nos dias atuais é "pagar mico".Ser poeta então,nem se fala,é correr o risco de ser ridicularizado.A moda agora é "ficar".Conhecer alguém num segundo e imediatamente beijar e muito...Nada de compromisso.Não precisa de diálogo.A gente vê isso com frequencia entre os jovens.O ato sexual ficou banalizado e virou "transa".Algo sem conteúdo e significado.Depois de ouvir aquele som "manero" e beber algo,leva-se para a cama e faz-se o "vuco-vuco" ...Logo depois "tchau"(vamos em frente que atrás vem gente)...Na verdade os jovens e até mesmo os adultos que agem dessa forma desconhecem o doce sabor da felicidade verdadeira.Carregam dentro de si um vazio imenso.Estão numa incessante busca da tão falada felicidade,mas nunca conseguem  encontrá-la.É uma busca em vão.Tudo porque vivem num ciclo vicioso de vulgaridades.Os hábitos e costumes sofrem mutações no decorrer do tempo,mas isso não significa que devemos deixar de lado valores que dignificam o ser humano.Não podemos confundir liberdade com libertinagem.A promiscuidade é uma ameaça aos valores éticos e morais indispensáveis numa sociedade organizada.Por outro lado o desamor se alastra e o egoismo assume proporções assustadoras nos dias atuais.A indiferença e a falta de compaixão está escancarada.O que prevalece é o individualismo.Basta dobrarmos a esquina para constatar a inexistência da caridade humana.Os meninos de rua perambulam "cheirando cola" sem destino e dormem ao relento junto aos mendigos e loucos de todo gênero.
Os drogados já formam um contingente gigantesco.E os desempregados buscam o chamado 'trabalho alternativo" sem muita perspectiva.O salário mínimo é aviltante.O idoso aposentado tem um tratamento humilhante e doente enfrenta as filas nos hospitais implorando por atendimento.A corrupção e o crime de mãos dadas desafiam os poderes constituido.A violência é assustadora.A bala perdida atinge o inocente e alcança a consciência de cada um de nós que permanece emudecido.Os assaltos são rotineiros.E já se fala em poder paralelo...É traficante,miliciano,marginais de toda espécie demonstrando através de facções ousadia e poder de fogo.Diante desse quadro urge que sejam tomadas medidas sérias e eficiente.Antes de finalizar gostaria de dizer que usei as flores de plástico como referência do que é artificial.Reconheço que muita gente aprecia esse tipo de flor,talvez pela praticidade.Particularmente,entretanto,prefiro as naturais.Confesso que não suporto ver  flores artificiais no jarro enfeitando uma mesa...E acredito que não ficaria bem ofertar a uma mulher um buquê de flores artificiais,ou estarei enganado? E aos que se preocupam com o meio ambiente aviso que o tempo de decomposição de plástico leva mais de 100 anos.
Quanto ao coração de pedra...dispensa comentário.

 
Gladston Salles
Enviado por Gladston Salles em 04/10/2008
Alterado em 22/09/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link gladstonsalles.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras